✍ Amplificador 1W com um Mosfet – LAMP

A construção de um amplificador de guitarra pode ser uma das experiências mais gratificantes no DIY

Vamos então construir um amplificador de guitarra usando apenas um componente activo: um Mosfet a trabalhar em classe A.

É um amplificador minimalista inspirado nos projectos desenvolvidos e partilhados por Nelson Pass, o guru do hi-fi em classe A - https://www.passdiy.com

Quanto ao material, resume-se a 6 componentes (mais ou menos)

A ideia deste artigo é construir um pequeno power amp que soa bem quando se faz o overdrive. Note-se que apenas vamos construir um power-amp com um fantástico 1W usando um mosfet.

Circuito simplificado, circuito completo

A figura seguinte mostra o circuito completo do amplificador. Tal como está o Mosfet vê qualquer coisa como 3.5V no drain e tem um ganho, para uma corrente de repouso igual a 600mA, da ordem de 8 (ganho máximo para diferentes valores do potenciómetro P1).

Quer isto dizer que se o sinal de entrada for 0.1V à saída teremos 0.8V, o ganho é um factor multiplicativo. A impedância de entrada é da ordem dos 50 kOhms que é mais do que suficiente para ser ligada a qualquer output de um pedal de distorção ou booster e cá temos o nosso pré-amplificador para desenrascar. Os condenadores de acoplamento, de 220nF e de 1000uF, entrada e saída respectivamente, controlam a resposta em frequência do circuito. Outros pares de valores seriam possíveis para a mesma resposta em frequência mas, ao meu ouvido, soa melhor a distorção (quando se faz o overdrive) ao deixar passar graves à entrada e cortá-los à saída com um valor mais baixo de C2.

Mas isto é DIY, basta experimentar!

O mosfet tem o seu ponto de funcionamento garantido através da rede de feedback composta pela resistência R2 e o potenciómetro P1, chamada rede de Schade (1938), que liga o drain à gate.

O potenciómetro P1 é opcional, permite controlar o ponto de funcionamento do mosfet, um trimpot escondido dentro da caixa serve para ajustar o ponto de funcionamento e que ficará fixo neste caso.

E fez-se luz

Como resistência de potência vamos usar um lâmpada de carro, é a carga do componente activo, e especifica a impedância de saída do circuito. À semelhança do que acontece com os amplificadores a válvulas este amplificador tem uma impedância de saída elevada o que faz transparecer as qualidade do speaker.

Uma lâmpada comporta-se como uma resistência não linear. Quanto mais quente está, maior é a resistência. A resistência aos terminais da lâmpada não obedece à lei de Ohm. Os gráficos anteriores mostram o valor da resistência de várias lâmpadas de carro de que se podem comprar. As lâmpada típicas de médios/macha-atrás e de pisca (âmbar) têm usualmente 21W e devem ser alimentadas as 12V (curvas a preto e vermelho). Arranjei também uma lâmpada de 10W (curva a verde) e ofereceram-me uma lâmpada de empilhadora de 24V de 25W (ou será de camião?). O amplificador funcionará bem qualquer uma das lâmpadas. A resistência das lâmpada de 21W é menor e por isso deverá arranjar-se um dissipador maior. A minha escolha foi a lâmpada de 24V/25W.

Ilustração dos diversos passos de montagem

O suporte para a lâmpada é de reboque:

Dissipador:

Optei por fazer a caixa em madeira, tem dimensões (12cmx16cm) e as laterais (4.3cmx16cm). Têm espessura de 1.5cm).

A figura seguinte mostra já a caixa montada com os furos para colocar o dissipador e o farol, antes de lixada.

E usei umas calhas de alumínio de 4.3cm para colocar os jacks:

E confirma-se que está tudo bem:

E fura-se o dissipador. Note-se no círculo interior onde se vai colocar o mosfet.

Optei por montar tudo numa linha de contactos que tinha para aqui, mas podia ter usado uma stripboard:

E um spaceinvader que teimou em ajudar. Ficou tudo mais fácil a partir daqui ;)

A montagem do transístor requer algum cuidado. É necessário massa térmica e um isolador de cerâmica (ou outro).

Costumo colocar massa térmica entre o isolador e o dissipador e transístor.

E já me esquecia... a fonte de alimentação é um carregador de portátil 18V 2.23A, mas qualquer outro serve.

Notas finais

E já está! As fotografias seguintes mostram a clara vantagem de usarmos uma lâmpada: não ser necessário instalar um led on-off.

O plástico vermelho dá aquela sensação quente que tanto gostamos em amplificadores de guitarra. Os circuitos simples, e este é um caso desses, permitem identificar muito bem os efeitos que se obtêm quando se varia um parâmetro. O potenciómetroP1 permite controlar o ponto de funcionamento do mosfet permitindo controlar a distorção e compressão do sinal final amplificado. E como soa? Bom melhor mesmo é montar um!

Boas construções!

Palavras chave/keywords: guitar, audio, class a, Nelson Pass, mosfet electrónica

Criado/Created: 16-06-2017 [10:31]

Última actualização/Last updated: 16-06-2017 [10:58]


GNU/Emacs

1999-2017 (ç) Tiago Charters de Azevedo

São permitidas cópias textuais parciais/integrais em qualquer meio com/sem alterações desde que se mantenha este aviso.

Verbatim copying and redistribution of this entire page are permitted provided this notice is preserved.